Lava Jato: Presidente do Grupo Petrópolis é alvo de mandado de prisão

O dono do grupo Petrópolis, Walter Faria, é alvo de mandado de prisão preventiva na 62ª fase da operação Lava Jato, deflagrada hoje (31).

A investigação apura o envolvimento de executivos do grupo Petrópolis na lavagem de dinheiro desviado de contratos públicos, especialmente da Petrobras, pela Odebrecht.

Foram expedidos pela Justiça Federal de Curitiba outros cinco mandados de prisão temporária contra executivos envolvidos na operacionalização ilícita de valores.

Além disso, 33 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em empresas do grupo e residências, localizadas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), as investigações revelaram que Faria, em conjunto com outros cinco executivos do grupo Petrópolis, atuou em larga escala na lavagem de centenas de milhões de reais em contas fora do Brasil e desempenhou substancial papel como grande operador de propina.

Conforme apontam as provas colhidas na investigação, o dono do Grupo Petrópolis, em troca de dólares recebidos no exterior e de investimentos realizados em suas empresas, atuou para gerar recursos em espécie para a entrega a agentes corrompidos no Brasil e entregar propina travestida de doação eleitoral no interesse da Odebrecht; e transferir, no exterior, valores ilícitos recebidos em suas contas para agentes públicos beneficiados pelo esquema de corrupção na Petrobras.

Fonte: faroldacidade.com.br