Forças Armadas exigem autorização prévia para entrevistas com atletas militares

O Ministério da Defesa decidiu vetar entrevistas de atletas militares a órgãos de imprensa. A novidade consta em Portaria Normativa assinada pelo ministro da Defesa, general Fernando Azevedo, e publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (28). Segundo o “Olhar Olímpico” do Uol, o documento disciplina a relação entre os componentes do Programa Atletas de Alto Rendimento (PAAR) e as Forças Armadas.

 

Entre as obrigações listadas pela Defesa, os atletas militares integrantes do PAAR devem “comunicar antecipadamente à sua Comissão de Desportos e à sua organização militar de vinculação quaisquer solicitações para a concessão de entrevistas ou para a participação em reportagens e, caso autorizado, esmerar pela divulgação dos objetivos do Programa e zelar pela boa imagem do Ministério da Defesa e das Forças Singulares”.

 

Por serem membros das Forças Armadas do Brasil, os atletas do PAAR precisam seguir o Estatuto dos Militares, de 1980. Com isso, existem algumas restrições, como não ser sócio majoritário de empresa. O estatuto também exige que os militares se abstenham de participar de “atividades político-partidárias” e de “discutir ou provocar discussões pela imprensa a respeito de assuntos políticos ou militares, excetuando-se os de natureza exclusivamente técnica, se devidamente autorizado”. Também diz o estatuto que “são proibidas quaisquer manifestações coletivas, tanto sobre atos de superiores quanto as de caráter reivindicatório ou político”.

 

A nova portaria normativa também exige que os atletas se apresentem “à Força sempre que determinado, inclusive para participar de, no mínimo, um estágio anual de instrução militar”. Outra novidade é a de que o atleta terá que informar semanalmente, por e-mail, “sua agenda de trabalho desportiva, telefones de contato no período e outros dados de interesse”. Vale lembrar que três dos principais atletas baianos são militares: os maratonistas aquáticos Ana Marcela e Alan do Carmo, além do boxeador Robson Conceição, fazem parte e passarão a seguir às exigências da nova portaria.