Trio (dois acima de 70 anos, e 1 de 97) que criou bateria de lítio e livrou o mundo de fios leva o Prêmio Nobel de Química

O norte-americano John B. Goodenough, de 97 anos, o britânico M. Stanley Whittingham, de 77, e o japonês Akira Yoshino, de 71, são os vencedores do Prêmio Nobel de Química pelo desenvolvimento de baterias de íons de lítio, hoje usadas em celulares, notebooks e carros elétricos.
SEM FIO
A descoberta foi feita no começo da década de 70. “Os laureados lançaram as bases de uma sociedade sem fio e livre de combustíveis fósseis”, avaliou o comitê do Nobel ao anunciar há pouco o prêmio no Twitter.
VELHA
Os cientistas vão dividir o prêmio de R$ 3,72 milhões. Aos 97 anos, o americano Goodenough passa a ser a pessoa mais velha a ganhar o Prêmio Nobel.