Anac não suspendeu certificação do Aeroporto de Guanambi. Itens apontados em relatório já foram providenciados pela Prefeitura, Seinfra e empresa administradora

O Aeroporto de Guanambi Isaac Moura Rocha não teve a sua certificação suspensa pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), conforme foi publicado nesta semana de forma errônea e sem a devida checagem jornalística profissional, ou lastreada com documentos oficiais do órgão federal. Conforme tela do sistema do órgão de fiscalização, no total de 29 aeroportos no Brasil em processo e certificação, 23 deles já tiveram o processo concluído, e outros 6, como é o caso de Guanambi, estão em “sobrestado”, ou seja, com status de certificação operacional provisória e com pendências a serem resolvidas, o que já está sendo feito, conforme diz a própria Anac em seus dados oficiais, disponível para todos que queiram se informar. O Aeroporto segue funcionando normalmente para a aviação convencional, estando em processo de certificação para linha aérea  regional em pleno andamento.

 

No último dia 20 de novembro, uma equipe da Anac esteve em Guanambi realizando uma avaliação técnica do aeroporto, levantando 8 questões para serem adequadas, destas, 5 já foram resolvidas, e as demais, estão dentro do prazo estabelecido pelo Plano de Ações Corretivas – PAC estipulado pela Anac e prontamente sendo providenciados pela Prefeitura de Guanambi, Governo do Estado/Seinfra e empresa administradora do local, a empresa Infracea Aeroportos, que tem uma vasta experiência em processo de certificação, pois gerencia outros aeroportos pelo país.

 

Após a publicação do relatório, o Prefeito Jairo Magalhães autorizou a resolução das questões. Destas, a mais complexa, foi o afastamento de 4 metros da cerca patrimonial, cuja obra foi finalizada na última sexta-feira. As demais apontadas no relatório, e já resolvidas, foi a melhoria das vias internas, para os veículos de fiscalização e o investimento de mais de 100 mil reais no grupo gerador, feito pela Seinfra. A estação Meteorológica RedeMet também já foi concluída pela Secretaria de Aviação Civil (SAC), e está em fase de testes.  Recentemente, a Prefeitura Municipal também entregou o mobiliário completo do saguão de passageiros, com investimento no valor de R$ 58 mil reais.