Restrições mais duras começam a dar resultado no Ceará e na Bahia, diz Jornal Nacional

Pelo menos dois estados já começaram a sentir os primeiros resultados de medidas de isolamento mais rigorosas adotadas para frear o contágio do coronavírus. Faz quatro semanas que o governo do Ceará restringiu o setor de comércio e serviços, as atividades essenciais e proibiu a circulação das pessoas sem justificativa em todo estado. De acordo com o Jornal Nacional, agora, os resultados começam a aparecer na quantidade de casos. Segundo os números da Secretaria Estadual de Saúde. A segunda semana com as medidas de isolamento teve redução de 42% em relação à semana anterior ao decreto. Com menos casos, menos mortes. Nas mesmas semanas, dados parciais da Secretaria da Saúde, mostram que a redução nos óbitos de pacientes com Covid foi de 83%. Em Salvador e região metropolitana, as medidas de restrição começaram ainda antes: há cinco semanas. Segundo a prefeitura, o número de pacientes à espera de um leito pra Covid nas UPAs da capital baiana caiu de 137 para 13. E a quantidade de novos casos diminuiu mais de 50%. Com a queda nos números, Salvador vai começou a flexibilizar as medidas de restrição nesta segunda-feira (5). Os números refletem a diminuição na transmissão da doença, mas no Ceará, por exemplo, isso ainda não é percebido na rede pública de saúde, que está com 93% de ocupação nos leitos de UTI para pacientes com Covid e tem centenas de pessoas à espera de um leito. Mas nem todos conseguem. O epidemiologista Luciano Pamplona explica que as pessoas costumam se internar depois da segunda semana com sintomas. Por isso os reflexos do lockdown nas internações demoram algumas semanas. “A tendência agora é estabilizar por algumas semanas e depois, felizmente, se se mantiverem as medidas de isolamento e distanciamento físico; a gente começa a cair essa ocupação de leitos”, explica.